quarta-feira, 23 de julho de 2008

'Velho' é o novo 'Jovem'

Quando criança, eu sonhava em ser um sexagenário. Me parecia conveniente ao extremo não ter que me preocupar com crescer, estudar, trabalhar, ganhar dinheiro, achar a mulher da minha vida e, com ela, constituir família. Se eu dormisse com 12, e acordasse com 64, tudo isso já teria acontecido e eu, que já tinha curtido o suficiente a minha juventude, e isso era o que eu em minha ingenuidade imaginava, poderia agora desfrutar de uma velhice tranquila ao lado de meu netos e minha velha. Eu imaginava a minha velhice calma, serena e, sobretudo, como um tempo pra poder relaxar.
Felizmente nem todos imaginam sua velhice assim.
Dois irmãos, no Canadá, sonhavam diferente. Imagino os dois, ainda pivetes, confabulando aventuras para suas vidas adultas, aquelas aventuras que todos nós imaginamos, mas pouquissimo tem a sorte de realizar. Imagino o pequeno John dizendo: "Rob, quando a gente for velho, bem velho, vamo montar uma banda?" E então eles perderiam a noção do tempo confabulando como eles seriam, ques músicas tocariam, quantos fãs teriam, quantas mulheres os amariam.
O tempo passou, John e Rob Wright envelheceram. Um careca e o outro grisalho, muito além da idade que se considera normal montar uma banda punk, realizaram o sonho de sua infância agora tão distante. Nomearam-se NOMEANSNO e começaram, por volta de 1979, 1980, a destilar seu humor distorcido, perversões sexuais e imensa destreza técnica em forma de música.
Embora normalmente categorizado como um grupo Punk, Nomeansno distoa da maioria das bandas desse estilo em parte pela refinadíssima proficiência técnica de todos os músicos e em parte pelas próprias escolhas estéticas, muitas músicas indo alem de 5, 6, 7 minutos de duração. Outro aspecto que destoa do que é normalmente chamado Punk é a falta de compromissos com temíveis exigências estilísticas e a liberdade com que esses senhores de idade transitam entre estilos, como, por exemplo, fazem em seu disco ONE, gravando na seqüência covers de Bitche's Brew, de Miles Davis, e Beat on the Brat, dos Ramones.
No entanto, mesmo quando tocam o mais refinado, brutal, desenfreado e trocista punk, a agilidade com que os tempos se variam e quebram, o serpentear melódico das linhas de baixo e os riffs elaborados deixam claro que os velhinhos tem o espírito endiabrado, possesso por legiões insadecidas e que, aparentemente, a única forma de se esconjurarem é submetendo-se à impiedosa e rara arte de inovar e criar música como quem lapida diamantes, com precisão e esmero.
Desde que conheci Nomeansno, passei a olhar com outros olhos os velhos nas ruas, passei a imaginar quanto potêncial adormecido talvez exista em cada uma daquelas caras enrugadas, que talvez, se quisessem e pudessem, aquelas cabeças, brancas ou peladas, deveriam levantar-se e vir dar um bom puxão de orelhas em todo mundo e, como os rodados membros do Nomeansno, mostrar pra toda uma geração de jovens orgulhosos e perdidos como se portar. Deus sabe o quanto precisamos.


Nomeansno - Big Dick
(do disco Wrong)



Nomeansno - Oh No! Bruno!
(do disco Wrong)



Nomeansno - Heaven is the Dust Beneath My Shoes
(do disco All Roads Lead to Ausfahrt)



Discografia:

Mama (1984) * * *
Sex Mad (1987) * * * *
Small Parts Isolated and Destroyed (1988) * * * *
Wrong (1989) * * * * * √
0 + 2 = 1 (1991) - * * * * *
Live & Cuddly (1991) * * * *
You Kill Me (1991) * * * *
Why do They Call Me Mr. Happy? (1993) * * * * * √
Mr. Right & Mr. Wrong (1994) * * *
The Worldhood of the World (As Such) (1995) * * * * * √
Dance of the Headless Bourgeoisie (1998) * * * * * √
One (2000) * * * * * √
Generic Shame (2001) * * * *
All Roads Lead to Ausfahrt (2006) * * * * *

√ - (Volume 11 pick)

3 comentários:

Z´s disse...

"Deus sabe o quanto precisamos."


E precisamos mesmo. Parabéns pela narrativa, Celso! Não conhecia o som, vou me aprofundar melhor pois achei mto interessante.

Z´s

Pil Ambrosio disse...

OK, eu sou exatamente a uma pessoa que se interessou por uma das bandas que vocês indicaram, mais especificamente essa NoMeansNo, com certeza acompanharei o RSS de vocês de agora em diante.
=D

CPJr disse...

bom saber que tem gente lendo e se interessando pelos sons que comentamos! espero que continue assim! afinal, há muita música boa por aí implorando pra ser ouvida! : )